Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POESIA INFANTIL / INFANTO-JUVENIL
Coordenação de Liliane Bernardes

ELIAS JOSÉ

Quem foi?
Escritor e professor de Literatura Brasileira e de Teoria da Literatura.

Onde e quando nasceu?
Em Santa Cruz da Prata, distrito do município de Guaranésia, Minas Gerais, em 25 de agosto de 1936.

Faleceu aos 72 anos, no dia 02 de agosto de 2008.

TEM TUDO A VER

A poesia
tem tudo a ver
com tua dor e alegrias,
com as cores, as formas, os cheiros,
os sabores e a música
do mundo.

A poesia
tem tudo a ver
com o sorriso da criança,
o diálogo dos namorados,
as lágrimas diante da morte,
os olhos pedindo pão.

 

A poesia
tem tudo a ver
com a plumagem, o vôo e o canto,
a veloz acrobacia dos peixes,
as cores todas do arco-íris,
o ritmo dos rios e cachoeiras,
o brilho da lua, do sol e das estrelas,
a explosão em verde, em flores e frutos.

A poesia
- é só abrir os olhos e ver –
tem tudo a ver
com tudo.

 

O MEDO DO MENINO

Que barulho estranho,
vem lá de fora,
vem lá de dentro?!
.

Que barulho medonho
no forro,
no porão,
na cozinha,
ou na despensa!...

.

Será fantasma
ou alma penada ?
Será bicho furioso
ou barulhinho de nada ?
.

E o menino olha
na escura escada
e não vê nada.
Travesseiro
E olha na vidraça
e uma sombra o ameaça.

.

Quem se esconde ?
Esconde onde?

.

Se vem alguém passo a passo
Na rua deserta
O medo aumenta.
Passos de gente de casa
Encolhe o medo.
Se somem vozes e passos
De gente de casa,
No ato, no quarto,
Vem o arrepio

 

E  o menino encolhe,
Fica todo enroladinho.
E se embrulha nas cobertas,
Enfia a cabeça no travesseiro
E devagar, devagarinho,
Sem segredo,
Vem o sono
E some o medo

 

O RETRATO DA BISAVÓ

Penteado esquisito
formando um bolo redondo,
furado no meio,
gordo e alto
_ Mamãe diz que é coque.

Sentada comportadinha,
pernas cruzadas,
mãos entrelaçadas,
anéis nos dedos,
colar e brincos combinando
_De pérolas.

No rosto
um jeito estranho
de quem ri
sem rir
com os lábios,
sem mostrar os dentes.

Vestido todo elegante
nem comprido nem curto,
cheio de rendas
e de babados.

Na sala,
Clara olha o retrato
e fala:
_Que pena não ter conhecido a outra Clara!

 

PAPAI NOEL

Papai Noel

Eu sei que não tem.
Mas no Natal fico quietinho
Esperando meu presente.
O que é que tem?
 

Peço o presente antes,
Muito antes do Natal 

Quando o ano começa,
Já fico namorando o presente
Em toda loja que passo.
Só que não tem graça
Presente na loja.
A gente olha de graça,
Mas não é da gente,
É do dono da loja. 

Mas, de repente,
O Natal chega
E o presente fica diferente,
Fica todo encantado,
Não sei bem
O que presente tem,
A gente. 

Acho que é uma saudade,
Um sonho antigo
E a fantasia com papai Noel
Que fazem o presente mais presente
E só da gente.

 

SEGREDINHOS DE AMOR

Gosto muito de vocês,
Muito mesmo,
Mas não me peçam explicação,
Pois não vai dar pra contar
O que vai morrer comigo,
O que já fechei no meu poço. 
Vocês sabem como são
Os segredinhos de amor
Todo mundo tem os seus
E pobre de quem não tem...
 

Sei, de fato,
Entre amigos há sempre um pacto,
Um elo belo,
Mas não vale tão fato
Pros segredinhos de amor. 

Não, não é medo do ridículo.
Nem é o meu segredo um conflito.
Pode até ser coisa infantil
E até meio boba,

Mas segredo é segredo,
Coisa guardada a medo
Pra alegria e tortura
Só da gente 

E um segredo é muito mais segredo
Se for um segredinho de amor!

 

 

Voltar para o topo da página Voltar para a página de Poesia Infantil

 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar