Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CLEBER JUNIO FALQUETE


Natural de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo, onde reside. Graduado em História. Poeta e contista. Já publicou os livros O eco celeste das armaduras secretas, guardadas em céus claros de domingos ignorados (THS Editora, 2011) e Ossuário de Cavalos-marinhos (Vitrine Literárias, 2014) — ambos receberam o Prêmio Nelson Seixas, da Secretaria de Cultura de São José do Rio Preto, SP.

 

 

FALQUETE, Cleber Junio.  Ossuário de cavalos-marinhos. São José do Rio Preto, SP: Vitrine Literária, 2014.   93 p.  13x20,5 cm.   ISBN 978-85-64166-34-9   Capa: Luciano Paula de Almeida.  “Cleber Junio Falquete”  Ex. bibl. Antonio Miranda

 

 

COLHEITA INFRUTÍFERA

 

Eu lhe colhi
no calor da ensolarada manhã
as mais frescas e polpudas palavras.
E das raízes
da dura terra lavrada
as mais tenras escolhi.
E as pousei, todas lavadas
com minúcias, atenções e cuidados,
sobre a toalha branca de renda
e de dias bordados.

Desatendo,
(talvez insensível ao esforço sincero do meu lavor)
você as embrulhou
sem fé e sem rancor,
com as velhas notícias do jornal do dia.
Mastigou-as devagar e sem amor
e desinteressado engoliu-a
com o café.

 

 

IN CONDICIONAL

 

Retiro a grade
das minhas palavras.

Mas é você
quem as conduz
em linhas
            arbitrárias.

 

 

IRRETRATÁVEL

 

Esse retrato não é meu.
Acredite. Esse esboço não sou eu.
Sei reconhecer-me.
Por certo é um outro.
Talvez eu já o tenha visto um dia,
sentado distraído num banco de praça,
fumando perdido em alguma esquina
ou até colhendo mangas à tarde.
Desculpe-me, mas eu não o reconheço.
Eu o recuso,
mas apenas porque sei que não sou eu.
Olhe,
não tenho essa boca aniquilada,
não tenho esse nariz inerte,
não tenho esses olhos limitados.
Minhas orelhas não são como essas, subterrâneas,
e os sulcos da testa aprumam-se intocáveis,
nessa face de besta.
Repito: esse retrato não é meu.
portanto, por favor,
tire outro
que seja
menos
eu.

 

 

BAILADO

 

No baile das lembranças
as saudades é que ditam
os ritmos e as danças.

 

 

 

FALQUETE, Cleber Junio. corponexões. São José do Rio Preto, SP: Vitrine Literária Editora, 2017. 108 p.  12,5x16,5 cm.  Ilus. p&b Apresentação por Sidnei Olivio.  Capa e ilustrações por Luciano de Paula Almeida.  ISBN 978-85-64166-66-0   Ex. bibl. Antonio Miranda

 

         íntimo litígio

       como réu de mim
        não ouso enfrentar
        um júri de consciências

        basta-me o veredicto
        de meu juízo: inocente
        ou culpado

        não importa o pecado
        eu sempre serei condenado
        pela absolvição

        de minhas dúvidas

 

       orquídeas febris

       em meu jardim
        não há céu e nem mar.
        As terras estão inférteis
        e na estiagem
        uma colheita de cicatrizes
        é tudo quanto há.

        — há folhas mortas,
        girassóis estuprados,
        minhocas empaladas,
        moscas moribundas,
        lesmas leprosas,
        ratos paraplégicos
        sapos mórbidos,
        larvas anoréxicas,
        vísceras de borboletas.

        nos dias invernais
        florescem orquídeas
        de intenções selvagens,
        adubadas com a febre do desprezo.
        rego-as com uma dose de veneno do silêncio,
        diluído em ponche de águas paradas.

        e da terra brota um botão de infâmias.

 

        Homúnculo

       no naufrágio de nosso amor
        você emergiu decentemente
         enquanto
                       eu
                        afundava
                                  liliputi
                                       a
                                       na
                                         mente

 

        visão do inferno

       uma bíblia
        carcomida
                  por traças bulbosas
                              e açoitada
        por labaredas de ódio
        agonia em suplício

                  de suas parábolas.

 

       corponexões

       por fora
        o calor ameaçava
        o restante do dia

        por dentro
        a chuva refrescava
        o avanço da noite.

 

        fundo falso

       bateu-lhe à porta
        com um buquê
        de respostas
        e um sorriso
        na mão.

        desconfiada
        ela despetalou-se
        das perguntas
        escondendo-as
        no fundo falso
        de um vago grego.

 

 

Página publicada em maio de 2016; página ampliada em maio de 2013.


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar