Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
JOSÉ DE CASTRO

 

Fragmento de biografia e foto: papocultura.com.br 

 

JOSÉ DE CASTRO

 

José de Castro é mineiro-potiguar nascido em Resplendor-MG. Veio para Natal em 1976. Em 2015, recebeu o título honorífico de cidadão natalense. Jornalista, escritor e poeta. Mestre em Tecnologia da Educação. Membro da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do RN – SPVA/RN e faz parte do conselho consultivo da União Brasileira de Escritores – UBE/RN. É também membro correspondente da Academia de Letras, Artes e Ciências Brasil – ALACIB, de Mariana/MG. É Cônsul da Poesia de Parnamirim, nomeado pelo Movimento Poetas Del Mundo.

Foi professor da UFRN e diretor da TV Universitária. Estreou na literatura infantil em 2002 com o livro ‘A Marreca de Rebeca’, pela editora Paulus/SP. Tem 12 livros publicados, entre infantis, infantojuvenis e para adultos.
Reside no litoral do Espírito Santo onde continua escrevendo seus versos.

 

IMAGENS LITERÁRIAS: a realidade e o sonho. Antologia 2020 – UBE – PB: autores    paraibanos e convidados.  Poesia – Contos – Crônicas – Artigos.    Organizadores: Ana Isabel de Souza Leão – José Edmilson Rodrigues – Luiz Augusto Paiva.   Itabuna, Bahia: Mondrongo, 2020.  224 p.  13,5 x 23 cm. 
ISBN 978-65- 86124-22-4  Obra publicada sob a chancela da União Brasileira de Escritores – UBE, Subseção da Paraíba. Ex, bibl. de
Antonio Miranda.

 

 

                APENAS PALAVRAS

Apenas palavras me barulham por dentro,
me baralham e me bailam,
me embalam e em mim se calam.

Meu casulo, minha clausura,
é o verbo cela onde habito,
onde falo, onde calo o meu grito.

Grave escrita breve me agrava.
Corta-me o poema feito espada,
feito faca, adaga, fado de letra torta.

Verso leve me degreda e me condena
a ser escravos das palavras que me escrevem.



SONETO DA SAUDADE

A tarde morna e lerda aos poucos cai
e meu pensamento vaga sem rumo.
Vem saudade e de tri destila o sumo,
triste sentimento no ar se esvai.

Emoção forte e pura sobressai
neste peito que hesita e perde o prumo.
Nas lembranças, aos poucos, me consumo,
feito a tarde tristonha que se vai.

Vem a noite com seu escuro manto.
Quem dera pudesse inda hoje vê-la.
Madrugada, solidão, acalanto.

Em silêncio, derramo este meu pranto.
Da janela, penso-te aquela estrela
que tem da luz o mais sublime encanto.



CAFÉ DA MANHÃ


Uma gota de sol
pinga no meu
café da manhã.

Sinto o aroma
de estrela dormida
em berços de luz.

Abro meu sorriso
e bebo o dia
num gole só.

 

*

 

VEJA e LEIA outros poetas de MINAS GERAIS em nosso Portal:

http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/minas_gerais/minas_gerais.html

 

Página publicada em fevereiro de 2021


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar