Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


HORÁCIO DÍDIMO

HORÁCIO DÍDIMO

Professor do Departamento  de Literatura da Universidade Federal do Ceará, Horácio Dídimo Ferreira Barbosa Vieira, é formado em Direito (UERJ) e Letras (UFC), mestre em Literatura Brsileira (UFPB) e doutor em Literatura Comparada (UFMG). Autor de várias obras no campo da poesia, ensaio e literatura infantil. É membro da Academia Cearense de Letrss.

Livros de poesia: Tempo de Chuva , Tijolo de Barro, Passarinho Carrancudo , A Palavra e a palavra, A nave de prata.

Horácio Dídimo
A PALAVRA E A PALAVRA
Fortaleza: Editora UFC, 2020
ISBN 85-7282-125-2



a palavra chave

         a palavra chave
         já não fecha
         nem abre

         a palavra amor
         muda de cor

         a palavra verde
amadurece

a palavra ave
voa no papel


a solução

daqui a cem anos

todos os nossos problemas
nos terão resolvido

As casas

 

após longa espera

nada aconteceu

 

as casas continuaram baixas

 

tão baixas

que muitos de seus habitantes rastejavam

enquanto outros desistiam de antigas reivindicações

 

As doces meninas de outrora

 

as doces meninas de outrora

amanheceram

vestiram os vestidos novos

pintaram as unhas de vermelho

por um instante resplandeceram

depois baixaram as cabecinhas louras

e envelheceram como as flores



Triste

 

triste não é saber que não há

nem que não haverá

triste é saber que nunca houve

e que agora para todo o nunca

choraremos

 

 

isso

não sei o que quero
dizer com isso

mas sei que isso
é o que eu quero dizer

 

 

as doces meninas de outrora

as doces meninas de outrora
amanheceram
vestiram os vestidos novos
pintaram as unhas de vermelho
por um instante resplandeceram
depois baixaram as cabecinhas louras
e envelheceram como as flores

 

EIS O QUE VOS DIGO, IRMÃOS:
O TEMPO É BREVE.
(I Cor 7,29

======================================

a palavra chave


a palavra chave
já não fecha
nem abre

a palavra amor
muda de cor

a palavra verde
amadurece

a palavra ave
voa no papel

 

CALEI-ME, JÁ NÃO ABRO A BOCA,
PORQUE SOIS VÓS QUE OPERAIS.
(SL 38,10)
========================================

 

identidade

 

um dia
com a ajuda de Deus
não haverá mais diferença
entre mim e eu

 

PORQUE É DEUS QUEM,
SEGUNDO O SEU BENEPLÁCITO.
REALIZA EM VÓS
O QUERER E O EXECUTAR.
(FL 2,13)
===============================================

 

o tigre de bengala o leão de peruca e a tartaruga que
era um passarinho disfarçado


todos nós somos iguais
uns menos outros mais

 

NÃO PODE O OLHO DIZER À MÃO:
NÃO PRECISO DE TI.
(I Cor 12,20)
==========================================

 

 

 

Página publicada em dezembro de 2008



Voltar à página do Ceará Voltar ao topo da página

 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar