Home
Sobre Antonio Miranda
Currículo Lattes
Grupo Renovación
Cuatro Tablas
Terra Brasilis
Em Destaque
Textos en Español
Xulio Formoso
Livro de Visitas
Colaboradores
Links Temáticos
Indique esta página
Sobre Antonio Miranda
 
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 

CREMILDO SOUZA

 

 

Educação: Contabilidade - Universidade Estadual de Feira de Santana

 

 

EXTRAÍDOS DE
https://plus.google.com/113403875877218939510

  /blogue do poeta Cremildo Souza

 

O SER

 

Sejamos ríspidos,

o existir é ríspido e não temos escolha,

sejamos frios;

o olho de deus não nos olha; nos molda:

sejamos ríspidos

e ríspidos vivamos sem enganos.

 

 

 

ESTUDOS DE SETEMBRO Nº 3

 

todas as noites me retiro da vida

e em sono profundo

refaço a consciência:

todos os dias cometo crimes horrendos

e a impunidade anda à solta.

 

 

 

 

HERA 1972-2005.  Antonio Brasileiro et al.. organizadores.  Salvador, BA: Fundação Pedro Calmón; Feira de Santana, UFES Editora, 2010.  712 p.  fac-símile. ilus. (Memória da Literatura Baiana).  ISBN 978-SS85-99799-14-7  Ex. bibl. Antonio Miranda

 

         ESTUDO

         Parco amor do meu peito, hás também
de dormir no escuro Hades,
hás de ser o voo calmo de uma ave
cega, hás de perder-te,
perder-te, em longas Grécias.

 

         CAPRICHO NO. 1

         meu peito,
fruto de amplos e dúbios
silêncios;
voz que morre, luz
que nada engloba de mim;
parvo pássaro negro
sem asas, que há de voar para além
dos meus enigmas.

 

SOBRE A COR E O SER

 

          p/lorge Luis Borges

 

Nunca saberei quem sou.

Por todas as esquinas os versos me espreitam

e nenhuma palavra é da minha cor.

Não estamos inocentes nem fantoches

e a lágrima amiga endurece-me o coração.

Por muitas mesas de bar minha alma vagou:

não fiz pacto com nenhum demónio...

 

Nunca saberei quem sou.

Mas todas as comparsarias estão desfeitas.

 

 

 

INTRA-RETRATO

 

Pária, divago bêbado nos sete mundos, setecentos
pecados.

Farto do ócio, do ácido escorrendo na consciência,
partilho com deuses e demónios meu ledo sofrimento.
Cá no íntimo inferno mágico e profano das palavras,
transcrevo versos azuis de carícia
e silencio confuso
e cego.

 

 

 

Página publicada em dezembro de 2018

 

 

 


 

 

 
 
 
Home Poetas de A a Z Indique este site Sobre A. Miranda Contato
counter create hit
Envie mensagem a webmaster@antoniomiranda.com.br sobre este site da Web.
Copyright © 2004 Antonio Miranda
 
Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Click aqui Home Contato Página de música Click aqui para pesquisar